AFINAÇÕES

A afinação standard nem sempre vai ao encontro de todas as necessidades: confere aqui algumas afinações alternativas.

A chamada afinação standard teve a sua origem há mais de 500 anos com um instrumento da família dos cordofones, a chittarra italiana, que, com 5 cordas, tinha a afinação ADGBE. Posteriormente, já no final do século XVIII, começaram a surgir as primeiras guitarras de 6 cordas, que adoptaram a mesma afinação que a chittarra italiana, que já era uma afinação standard para este tipo de instrumentos, acrescentado apenas um Mi (E) à afinação, ficando EADGBE.

Ter sido esta progressão de notas e não outras, com uma série de quartas justas e uma terceira maior, prende-se ao facto de facilitar tocar escalas ocidentais e fazer os acordes com maior rapidez. Contudo, hoje em dia, a variedade de afinações é enorme, e encontramos muitos guitarristas que usam afinações alternativas nos mais diversos estilos musicais, seja para dar mais corpo e peso ao som, como no caso do metal, seja para ajustar ao estilo de tocar e da sonoridade, como no caso do fingerpicking.

Drop D. (D-A-D-G-B-E)
Provavelmente é a afinação mais usada a seguir à standard. Consiste apenas em descer um tom na sexta corda de E para D, tornando o som um pouco mais grave, sendo por isso utilizado frequentemente no metal e no rock.
Exemplos de músicas com Drop D: Led Zeppelin – Moby Dick, Foo Fighters – Everlong, The Doors – The End, Rage Against the Machine – Killing in The Name

 

Drop A. (A-E-A-D-F#-B)
How low can you go? Se o Drop D não te enche as medidas podes sempre optar pelo Drop A. É uma afinação para estilos mais extremos, dando um som bastante grave à guitarra.
Exemplos de músicas com Drop A: Nile – Sacrifice Unto Sebek, Bloodbath – Eaten, Agoraphobic Nosebleed – Question of Integrity.

 

Afinação em C. (C-F-A#-D#-G-C)
Esta afinação utiliza os mesmo intervalos que afinação standard mas com dois tons a baixo para todas as notas, o que potencia um som muito mais grave e pesado. Por esse mesmo motivo, é uma afinação utilizada com mais frequência dentro do metal e derivados.
Exemplos de músicas com afinação em C: Electric Wizard – Another Perfect Day, Sleep – Holy Mountain, The Smashing Pumpkins – The Everlasting Gaze.

 

 Afinação “Iommi” C# (C#-F#-B-E-G#-C#)
Esta afinação está a meio tom entre a afinação C e D, com o mesmo intervalo de notas. Depois de ter tido um acidente onde perdeu a ponta de dois dedos, Tony Iommi passou também a adoptar esta afinação de forma a aliviar a pressão nas cordas, o que veio a dar um som ainda mais “doomish”.
Exemplos de músicas com afinação em C#:  Limp Bizkit – Take a Look Around, Black Sabbath – Supernaut.

 

Afinação em D. (D-G-C-F-A-D)
No mesmo esquema da afinação em C, utiliza os mesmos intervalos que a afinação standard, mas com um tom a baixo. Fica entre a standard e a afinação em C, dando mais peso sem perder tanto a definição do riff.
Exemplos de músicas com afinação em D: Neil Young – Ambulance Blues, Elliot Smith – Biggest Lie, Mastodon – Blood and Thunder.

 

Afinação “Nick Drake”. (C-G-C-F-C-E)
Esta afinação é uma das muitas que Nick Drake usou e popularizou, sendo mais apropriada ao folk, à guitarra acústica, ao fingerpicking. Exemplos de músicas com esta afinação: Nick Drake – Time Has Told Me, Nick Drake – Pink Moon, The Tallest Man of Earth – A Field of Birds, Beck – Bottle of Blues.

 

Open C. (C-G-C-G-C-E)
Esta afinação consiste num intervalo de notas que compõem um acorde quando tocadas soltas, neste caso C maior. Pode-se obter um C menor, baixando meio tom na 1º corda, de E para D#. Muito usada no estilo fingerpicking.
Exemplos de músicas com afinação em Open C: John Fahey – Sunflower River Blues, Jack Rose – Kensington Blues, Led Zeppelin – Friends, Robbie Basho – Song of the Stallion

 

Open D. (D-A-D-F#-A-D)
À semelhança da afinação anterior, esta afinação compõe um acorde em D maior quando se tocam as cordas soltas, bastando baixar meio tom na terceira corda, de F# para F, para se obter afinação D menor.
Exemplos de músicas com afinação em Open D:  Bob Dylan – Corrina Corrina, John Martyn – This Time, Pearl Jam – Oceans, Leo Kottke – Cripple Creek.

 

Afinação “Celta”.  (D-A-D-G-A-D)
Esta afinação é também muito usada no folk, tendo sido popularizada por David Graham nos anos 60. Partindo da afinação Open D, basta descer um tom e meio na terceira corda, de F# para G.
Exemplos de músicas com afinação em DADGAD: David Graham – She Moves Through the Fair, Pierre Bensusen – Night Song, Led Zeppelin – Kashmir.

 

Open G. (D-G-D-G-B-D)
Mais uma afinação aberta, que quando tocada com as cordas soltas produz o acorde de G maior. Para se obter a afinação em G menor, basta descer meio tom na terceira corda, de G para A#.  Exemplos de músicas com afinação Open G: Rolling Stones – Start me Up, Joni Mitchell – Little Green, Muddy Waters – I Can’t Be Satisfied, John Fahey – On The Sunny Side Of The Ocean, Chet Atkins – Black Mountain Rag.