Angra – O Metal Sinfônico Brasileiro que mais fez sucesso no estrangeiro

Muitos já sabem que uma das mais importantes e admiradas bandas de Metal do mundo veio do Brasil: O Sepultura. Isso foi um incrível golpe de sorte ou uma intensa e bem sucedida batalha realizada pelos irmãos Cavalera, em tempos imemoriáveis.

Mas muitos não sabem que uma das bandas mais admiradas no Brasil com renome internacional, fez como eles, muito mais sucesso no estrangeiro do que em seu país . Não, não estamos a falar de Thrash Metal, nem de Death Metal de raiz.  Estamos a falar de uma banda de Power/ Heavy Metal Sinfônico que selou um dos melhores trabalhos de todos os tempos por lá.

Com certeza, em algum momento você já ouviu falar de ANGRA. Os Angra foram formados em São Paulo no inicio da década de 90, por um grupo de jovens já experientes e atentos as possibilidades que o Metal podia trazer ao mundo.  O grande front man dessa grande organização, era sem dúvida um dos maiores gênios que as terras sul americanas podiam ter tido em música:  André Matos.

André Matos é um cantor com capacidade excepcional para a execução, composição e interpretação musical. Dotado de uma voz afinada de um  bom tenor, já foi até sugerido como o substituto de Bruce Dickinson, após sua saída temporária, na década de 90.  Entre 1985 e 1990 chegou a integrar a banda de heavy metal VIPER,  André com Rafael Bittencourt (que até hoje está no Angra) e  Andre Linhares, se conheceram na aula  de música e ali começou este grande projecto. Em seguida entrou Luis Mariutti, Marco Antunes e mais tarde o lugar de André Linhares, fora substituído pelo incrível Kiko Loureiro (que hoje é guitarrista oficial dos Megadeth).

Os membros da banda tiveram a seguinte fórmula do sucesso inicial: 

  • Base acadêmica em musica erudita
  • Interesse em unir o som clássico ou erudito + heavy metal
  • Ser influenciados pelo Metal Sinfônico ou “Melódico” de Gamma Ray e Helloween
  • Facilidade de expansão internacional
  • Convite para a gravação de seu material no estrangeiro (Alemanha)
  • O vocal especial de André Matos ,  que ao meu ponto de vista é inigualável
  • Lançamento de Carry On  na Europa, no Japão e nos Estados Unidos.

Eis que em 1993, lançaram “Angels Cry” com os seguintes integrantes.

André Matos – Vocal,  Luis Mariutti – Baixo, Rafael Bittencourt – Guitarra, Ricardo Confessori – Bateria,  Kiko Loureiro – Guitarra

Falar dos Angra  é recorrer a um sucesso interminável que até hoje faz com que eles estejam em plena atividade mundial. Com sucesso da tour do primeiro disco deste então,  fez com que o seguinte entrasse no mercado musical com uma força excepcional: O lançamento de Holy Land.

Holy Land” foi um disco conceitual lançado em 1996, do qual o tema fora relacionado ao Descobrimento do Brasil.  Make Believe  foi o grande single do momento e muitas diversidades ocorreram durante toda a composição e lançamento deste trabalho.

A meu ver, um álbum excelente e com uma maturidade de composição, execução e permitiu que realizassem o EP Freedom Call e o Holy Live.

Em 1998, lançaram portanto, no auge do seu sucesso o álbum “Fireworks”. Um álbum que demonstrava claramente que a banda começava a trazer uma outra personalidade. O single deste disco é Lisbon.

Depois do lançamento destes 3 álbuns de estúdio, o Angra mudou toda a sua estrutura.  André Matos, Luis Mariutti e Ricardo Confessori montaram a banda Shaman, com o álbum RITUAL (2002), que para mim é um dos melhores trabalhos nessa linha de trabalho do melódico.

A separação deu-se por muitos desentendimentos da banda, especialmente com o André.  Os assuntos que envolvem os motivos pelos quais a banda dividiu-se em dois caminhos , foram determinantes para gerar trabalhos paralelos que os separariam para sempre. O Angra continuou e o Shaman  lançou os álbuns Reason (2005), Immortal (2007) e Origins (2010).  E este ano lançou um show de “volta” da banda, com os antigos membros. Mas isso irá prosperar?

É lançado portanto, o “Rebirth” em  2001, com o novo vocalista: Edu Falaschi. Houve a entrada  dos músicos Felipe Andreoli no baixo e Aquiles Priester (considerado um dos melhores do mundo) na bateria.

Em seguida, foi lançado o Rebirth World Tour: Live in São Paulo ; o EP Hunters and Prey , e finalmente lançaram o Temple of Shadows em  2004; um álbum conceitual com boa repercussão no Brasil e no Japão.  Em 2006 veio o Aurora Consurgens;agora com o tecladista Fábio Laguna. Em seguida lançaram Aqua em 2010, que fez um bonito trabalho. Em 2012 lançaram a coletânea Best Reached Horizons. No auge do bem sucedido trabalho de perpetuação da banda, lançaram Angels Cry 20th Anniversary Tour com CD e DVD, já com o novo vocalista italiano,  Fábio Lione. A comemoração dos 20 anos do lançamento do Single que os revelou no mercado internacional, trouxe muita energia e renovação para a banda.  Em 2014 lançam Secret Garden, cheio de participações especiais. O baterista também já é outro: Bruno Valverde. O último trabalho chamado Omni, foi lançado este ano de 2018 e tem tido excelente repercussão, com cantoras conhecidas dos mundo musical pop e metal, como Sandy e Alissa White-Gluz.

Assista o último trabalho da banda, que hoje parece já divagar por terrenos distantes do Metal Sinfônico, para abraçar um Powermetal moderno e que permite todo tipo de criações.