MACHINE HEAD ponderam o seu futuro. Será o fim? Veja a nossa opinião

Machine Head é uma banda californiana que inovou o som o Metal que se faz nos EUA. É a banda favorita de quase todos os elementos que constituem a Guitarscream, logo a notícia de ontem mexeu com os nossos sentimentos, e fez-nos refletir acerca do que realmente se estava a passar.

Analisando o passado de Machine Head, apenas Robb Flynn se mantém desde o ínicio da formação da banda. Acreditamos que Robb não deve ser uma pessoa fácil de lidar-se, em termos de trabalho em grupo e convivência aquando dos períodos de criação musical. Relembramos que Robb, antes de criar os Machine Head, era membro integrante da banda Vio-Lence e sempre se sentiu musicalmente insatisfeito com este projeto. Na altura foi bastante polémico ao anunciar aos restantes membros de Vio-Lence que iria iniciar um projeto paralelo. A polémica foi tão grande que os restantes membros não concordaram, e ele numa atitude altruista, abandona a banda e cria os Machine Head.

Robb sabe de toda a sua potencialidade como músico compositor de metal, tendo logo ao primeiro álbum lançado por Machine Head atingido o sucesso na Europa, onde apoiado pelo programa da MTV HeadBangers Ball, Burn my eyes retira dos tops a sonoridade grunge que invadia as rádios, e televisões mundiais.

Em 2002 a banda tem uma crise idêntica à actual devido ao término do seu contrato com a conceituada Roadrunner Records. Tudo se deveu a um videoclip que fora lançado 3 semanas após o 11 de setembro de 2001, em que se via prédios em chamas. O videoclip do tema ” Crashing around you” foi retirado de todos os meios de comunicação.

Entretanto Machine Head torna a assinar um contrato com a Roadrunner Records, e em 2007 chegam mesmo a serem nomeados para os Grammys.

Desde 1991 até aos dias de hoje, a banda já teve 6 elementos que abandonaram os Machine Head, onde apenas Robb se manteve. Dos actuais elementos, Dave McClain (bateria) era o mais antigo, e segundo as palavras de Robb, preve-se que todos irão sair. Dois já estão confirmados, restando a duvida apenas na manutenção do baixista na banda.

Perante tal biografia, concluímos que Machine Head é Robb Flynn, e Robb Flynn é Machine Head. Acreditamos que Machine Head não irá acabar, apenas está a atravessar uma fase complicada que coloca a identidade da banda em risco. No entanto, e perante as críticas negativas que o álbum Catharsis foi alvo, aquando do seu lançamento, queremos acreditar que está mesmo na hora de haver uma revolução interna na banda. Está na altura de Robb Flynn parar, refletir e encontrar os músicos ideais para a banda, de forma a termos novamente um álbum com a qualidade do Burn my eyes, e Unto the Locust…

Machine Head jamais irá terminar…