RASGO – banda de metal Português grava com orquestra

Apresentamos antes de mais uma breve biografia retirada das redes sociais da banda.
RASGO são uma banda praticante de um Thrash Metal/Crossover cantado em português.

A razão de tal afirmação é simples… apesar da banda ser recente, os Rasgo são tudo menos principiantes e contam nas suas fileiras com músicos experientes e com provas dadas!

Guitarra – Pedro Ataíde (Sarrufo);ex-Trinta e Um/ex-Pé de Cabra
Guitarra – Rui Costa (Ruka); Tara Perdida
Bateria – Ricardo Rações; ex-Trinta e Um/ ex-Sacred Sin
Baixo – Filipe Sousa; ex-Shadowsphere /ex-WitchBreed
Voz – Paulo Gonçalves; ex-Shadowsphere / ex-Formaldehyde / Ignite the Black Sun

A história remonta a finais de 2013 quando José Pedro (Sarrufo) sente que é hora de voltar às lides da musica pesada depois de um hiato de 3 anos…Nesse ano aparece o primeiro tema dos Rasgo, (PROPAGANDA SUICIDA) uma música feita em estúdio com a ajuda de Tiago Marques na voz e Kae Santos na bateria.
O tempo foi passando, e no inicio de 2014 conversas “virtuais” entre Sarrufo e Ruka são a faísca que acende o lume, Ruka é desafiado e sente-se tentado a embarcar nesta viagem para ajudar a criar algo novo.
A 23 de Março, o dia fatídico que marca o falecimento de João Ribas (Tara Perdida), Ruka e Sarrufo encontram-se e sentem que os RASGO vão mesmo acontecer, o ciclo tinha-se fechado.
Ricardo Rações , camarada de armas de outras lutas faz parte da história desde sempre e seria o baterista perfeito para ajudar a alimentar o monstro sonoro que pairava nas cabeças focadas de Ruka e Sarrufo.
Filipe Sousa, um amigo de Sarrufo é o escolhido para o Baixo. Músico de excelência com provas dadas na área do Metal, F.S. dá à banda uma segurança preciosa e visível desde os primeiros ensaios.
Paulo Gonçalves é o último a saltar para o barco mesmo na altura em que este levantava ferro. Portador de uma voz poderosa, Paulo Gonçalves mostra ser o homem certo para dar vida às palavras, e assim estão completos os Rasgo.
Na forja encontra-se já “Ecos da Selva Urbana!”, um disco de 10 temas entre os quais: “Propaganda Suicida” , “Existe” , “Homens ao Mar (Puxa!)” , “Ecos da Selva Urbana” e uma versão ainda por revelar.
A promessa que fica é que será rápido, pesado, com uma mensagem forte e uma identidade muito própria.
O resto são linhas por escrever…
É chegada a hora, o barco partiu!

Como a GS tem estado atenta a esta banda nacional, saudamos esta brilhante ideia de juntar o metal cantado em Português, e uma belissima orquestra (Orquestra Círculo de Música de Câmara) superiormente orientada pelo Pedro Teixeira Silva.

Deixamos aqui este magnífico trabalho.